Elis – Viver é Melhor que Sonhar

Andréia Horta comenta desafio de reviver Elis Regina em minissérie: ‘Existe Elis e existe Andréia’
‘Elis – Viver É Melhor Que Sonhar’ estreia nesta terça-feira, 8/1, na TV Globo; confira a entrega da atriz para viver a personagem em making of exclusivo do Gshow!
A força e a presença de Elis Regina poderão ser contempladas pelo público a partir desta terça-feira, 8/1, na TV Globo. Com uma narrativa linear e emocionante, a minissérie Elis – Viver É Melhor Que Sonhar apresenta a trajetória de uma das maiores vozes da Música Popular Brasileira. Interpretada por Andréia Horta, a história de Elis Regina mistura cenas originais da cinebiografia e cenas inéditas de ficção, gravadas especialmente para a TV. Em bate-papo com o Gshow, a atriz fala sobre sua relação com a obra da cantora, o processo e as dificuldades de recriar a personagem e as expectativas para a estreia do docudrama. Intensa e energética. Estas poderiam ser características para definir tanto Elis Regina como Andréia Horta. Entregue à arte de interpretá-la, a atriz compartilha de aspectos da personalidade da cantora, como o senso de justiça – e acredita que a graça está em apresentar a sua própria versão da artista. “Mas, todos sabem que não sou ela, e é aí que mora minha liberdade como intérprete. Existe Elis e existe Andréia. A poesia está em convidar a energia dela para dançar comigo. O que ela disse ainda precisa ser escutado.” A intimidade com a obra e a trajetória da cantora ocorreu ao longo dos anos. Fã de Elis Regina desde a adolescência, a atriz mineira cresceu ouvindo os discos da artista gaúcha. O convite para interpretar um dos nomes mais consagrados da Música Popular Brasileira parecia predestinado à Andréia. “Com 14 anos, cortei o cabelo igual ao dela. Desde adolescente, escuto ela cantando. Na época da faculdade, comecei a ler sobre a vida dela. No decorrer dos anos, foi se dando uma certa intimidade com todo esse material.” Em 2015, o filme Elis – coprodução da Globo Filmes com Bravura Cinematográfica e Academia de Filmes – consagrava o trabalho de Andréia Horta como atriz renomada e premiada. Vencedora do Kikito de Melhor Atriz no Festival de Gramado por sua atuação no longa-metragem, a mineira se preparou por meses para reviver a cantora na minissérie. “Foi uma retomada intensa e deliciosa. Como revisitar, se reencontrar em si mesma, mas você agora é outra. Era preciso me conectar com Elis e com o trabalho que entreguei para o filme. Foi lindo, porque eu já tinha mudado tanto.” O fio condutor da minissérie é uma entrevista fictícia gravada por Elis Regina, que seria a última, antes de sua morte. A partir desta conversa imaginária, baseada em declarações reais da cantora, é construída a dramaturgia. Prestes a estreiar com a obra na TV, Andréia está com o sentimento dever cumprido. “A expectativa para a TV é grande, porque você distribui para o país inteiro. As pessoas vão poder escutar bastante a Elis. A série entrega um trabalho mais completo de pesquisa sobre ela. Estou super feliz!” Com roteiro de George Moura, Hugo Prata, Luiz Bolognesi e Vera Egito, e direção de Hugo Prata, Elis – Viver É Melhor Que Sonhar estreia nesta terça-feira, 8/1.
Saiba mais sobre a minissérie Elis – Viver é Melhor que Sonhar